Beijos outonais

Beijos outonais

O clima de outono-inverno é sempre propício
para novos beijos de desejos antigos.
Ensejo, pra se revelar sentimentos implícitos.
Transmutar-me-ia de peixe pra buscar um rio infinito.
Entraria em um casulo pra virar borboleta e voar
entre o verde.
Transformar-me-ia em pássaro, pra ganhar o céu
e o horizonte.
Gostaria de me enluarar pra só aparecer à noite.
De virar raio solar ultravioleta, pra surgir
e depois perecer na aurora.
Procuro um fio de razão, um resquício de luz,
uma mão que me segure e não encontro nada...
Chamo meu eu, que não se encontra mais
íntegro em mim, pois agora ele é parte seu.
Até o fim desse solcístio da ilusão,
continuarei a ser sua esporádica namorada!

Peço desculpas pois substitui a poesia anterior por essa!
Obrigada por me ler, nesse meu outono inverno rsrsrsr
Beijos
Elisa Gasparini
© Todos os direitos reservados