SERESTAS

SERESTAS
Como era bom cantar numa seresta,
“-A noite estava assim enluarada...”*
E ali na rua, abrir a voz apaixonada
E com a alma e o desejo em festa...
 
Cantar o que vem do nosso coração:
“-Noite alta, céu risonho, a quietude
É quase um sonho! **“E ali se ilude,
Se a amada está a nos ouvir ou não.
 
Pai e ou marido ciumento (vigilante),
Cães avessos à música e ao violão,
Não impedem que se abra o coração...
E se cante alto e forte até o instante...
 
De uma janela algo sobre nos deságua!
(Deus! Tomara que seja apenas água!)
 
Pedro Paulo da Gama Bentes -2014/01/09
* ÚLTIMA ESTROFE –Cândido das Neves

 
** NOITE CHEIA DE ESTRELAS- Cândido das Neves

Pedro Paulo da Gama Bentes
© Todos os direitos reservados