Caverna de Homens

 
Sombras se projetam por raios e trovões
Reféns acorrentados, à utopia da crença
Prisioneiros da ilusão de funestas paixões
Alegoria da visão que cumpre sentença
 
Periferia são murros, limitando as razões
Anuviando o real, epitáfio de uma doença
Espetáculo desenhado em versos e ficções
Invasor de mentes que não pede licença
 
Há valores vis de um mundo invertido
Refletindo no espelho a forma e imagem
Da tela que veste a cor e aliena o sentido
 
Caverna do saber de um povo subtraído
Atraído pelas cores do poder da paisagem
Utopia que encanta todo homem distraído

 

 

Murilo Celani Servo
© Todos os direitos reservados