Recomeço

Dois corações, um sonho 

Um coração, a estrada...

Novos passos no caminho

E um "porque" pra andar sozinho

 

 

Voltar aos fundamentos

Respirar, rever modelos

Aquietar o corpo e a alma

Do mar em fúria, esperar sua calma

 

 

E assim, a vida impõe seu ritmo

E o tempo em si mesmo se encerra

E o cantor já não se sobrepõe à música

E a dor não incomoda, de lembrança súbita

 

 

E assim, a vida segue em frente

Abrem-se cortinas em palco reluzente

E vindo de Deus, que pedi em oração

As fibras renovadas deste coração

Silvestre Sobrinho
© Todos os direitos reservados