Soneto II

 

 


 
                          SONETO  II
 
               Com a cadência plena de amar
               Com som do universo em verso
               Soneto com som das estrelas, vento e mar
 
              Se transforma em melodia de rimar
              Em percurso de fração, frase diversa
              Girando a velocidade máxima
 
              A pureza gravada na mente em ação
              Num belo prisma da galáxia; sensação
              Ao lê-lo encontrará, nítida percepção
              A fórmula é rara de muita atração
 
              Para sintetizar harmonia da natureza
              Com o som, com o ritmo com a beleza
              Das estrelas, esse vai questionar
              Vou fazer um soneto com a viveza.
 
               SONETO GRAVADO NAS ESTRELAS
 


 

             José Herculano da Nóbrega
       

 

 

 

José Herculano da Nóbrega
© Todos os direitos reservados