NÃO QUERIA MAIS, MAS ..................

 
NÃO QUERIA MAIS, MAS …....
 
Não queria mais, fazer Poesia assim,
mas, que posso fazer, se ainda dói em mim.
 
Agora, já se passou seis meses, que você desistiu de mim,
e nunca mais, pelo menos, pude ter sua voz, dentro de mim.
 
Meu coração ainda dói, minha alma ainda chora,
mas essa agora é minha inglória.
 
Nossa relação, não foi de dois segundos, nem dois minutos,
nem de dois dias, nem de dois meses, foi de dois anos,
mas que no fim, isso foi meu engano.
 
Ainda estou sem saber direito, o Real motivo,
da sua decisão, que no fim foi minha maior desilusão.
 
Mas por mais, que você me condene, pelas minhas palavras,
de desespero, depois dessa ruptura, que posso fazer,
me perdi, em minha enorme amargura.
 
Minhas poesias, sempre foram um jeito de conversar com você,
mas foi o teu silencio ensurdecedor, a respeito delas,
que me tornei um ser, desesperador.
 
Talvez, agora para você, eu nada mais represente,
para você o melhor mesmo é que eu esteja ausente.
 
Afinal, eu pensei, que entre nos dois, era estarmos presentes,
foi o que eu quis, foi o que eu procurei ser, em todos os momentos,
pois assim é meu Amor, que eu procurei te preencher.
 
Mas, tudo bem, nunca te obriguei a nada,
porque para mim, você nunca foi obrigação,
muito pelo contrario, você é e sera, minha maior emoção.
 
Não queria mais fazer Poesia assim,
mas, o Amor que tenho por você,
e que me faz assim.
 
Luz e Paz, é o que mais quero para você,
minha Querida “.......”, sou seu eterno Amor,
mesmo com seu silencio ensurdecedor.
 
M . A. Tisi
(07/05/2012)

Marco Aurelio Tisi
© Todos os direitos reservados