PECADO CULTIVADO

PECADO  CULTIVADO

 
 
Nem nobre nem plebeu
Apenas um homem
De olhos brilhantes
E beijos quentes.
 
Tem cheiro de mato
Sabor de hortelã
Força de ventania
E calor de labaredas.
 
Bebe da minha sede
Se alimenta da minha fome
Faz morada nos meus braços
E me enlouquece de tesão.
 
É o cavalheiro que eu precisava
O menino que eu esperava
A conjugação do verbo amar...
 

 

Val Bomfim
© Todos os direitos reservados