PODER DESCANSAR


Os rios da vida
Que correm em mim
Tiveram partida
Jamais terão fim.
 
Quantas paisagens
Irão percorrer,
Em quantas paragens
É impossível dizer.
 
Descendo montanhas
Rasgando florestas
Em meio às entranhas
De verdes encostas.
 
Ora corredeiras
Ora mansidão
Rompendo barreiras
Virando imensidão
Meus rios profundos
Como todos no mundo
Só desejam chegar
E poder descansar
Ao enfim se mesclar
Em teu cálido mar.
 
 
 

 

HC
© Todos os direitos reservados