VIROU SAUDADE...

VIROU SAUDADE...

 

VIROU SAUDADE...

.

“Já me fiz silencio, tendo tanto pra falar
e quantas vezes falei sem pensar
provocando tantos desencontros...
Andei de braços dados com a felicidade
E num descuido ou distração
Perdi o caminho, o rumo. Mudei a direção...
Talvez eu saiba o caminho de volta
E me espere por lá, a vida...
Mas, tenho os pés cansados
E feridas que podem sangrar.
Que me perdoe o passado 
Mas já não posso voltar...” (Rose Felliciano)

 


*Mantenha a autoria do Poema*

*Imagem utilizada no Poema- desconheço a autoria*

Rose Felliciano
© Todos os direitos reservados