Soneto Da Vida

Em triste manhã cinza de chuva fria
Escrevo a vida em versos que não tem fim
Em linhas sofridas que meu pensar luzia
Rimas que emanam a essência de jasmim
 
Lembranças esquecidas que o tempo acolhia
Um sofrer doloroso que escrever é ruim
Revivo a dor que as rimas em harmonia
Criam a vida em poesia presente em mim
 
Escondo meu sofrer, pois a arte é a beleza
Eu vejo o mar que faz de mim um escritor
Escrevendo a vida da qual eu sou o autor
 
A vida é um verso que se vê na natureza
O poeta que chora sabe o que é a dor
Veste a  vida com um soneto de amor 

Murilo Celani Servo
© Todos os direitos reservados