Solidão - Soneto

 
Quanto dói estar só neste momento
Entre quatro paredes que não falam
Entre flores que perfume não exalam
Sobre a cama que é pior do que o relento
 
Toda música retrata o meu lamento
No meu peito, nem as batidas me abalam
Minhas poucas palavras agora calam
É demais para mim, eu não agüento
 
Só você é capaz de devolver
Minha paz e a alegria de viver
És o santo bálsamo que me acalma
 
Volta logo e produza esse anticorpo
Que a solidão é a saudade do corpo
E a saudade é a solidão da alma

JHoracio
© Todos os direitos reservados