Naufragado

        Quando o chamado da noturna tristeza chega

        não importa quão bela seja a tua beleza

        O barco nebuloso suave aporta arrancando sua cabeça

        Não importa quanto paciente ou apressado,chega

        a sua vez de entregar-se a nuvem negra

 

        Quando cai o horizonte tardio no obscuro

        não importa quão seja grande teu coração duro

        Chega devagar corrozante seu instante oculto

        arrancando seu olhar azul brilhante sobre o mundo

        derrubando o dia o rasteiro frio noturno

 

       Quando nasce de vez o olhar do crepusculo

       não importa quão breve é teu sonido mudo

       Sem palavras sem falas na carne,teu corpo torturo

      Carrego a lagrima o sofrimento te mostro o sentimento profundo

      e la do fundo das traças do escuro te dou outro mundo

 

     Quando eu sem chamar sem querer te encontro

     não importa quão alegre e feliz  te afronto

     Te carrego involuntaria voluntaria te trago e pronto

     Te levo te beijo sangrando te alucino como um corvo

     pois sou a foice o corte a morte e a vida à desencontro.....       

 

 

a vida se desfaz da vida o mundo de verdade sem mentiras a vontade da morte dos nossos medos
a sensualidade misteriosa do oculto a vida o desencontro da essencia , existencia encontro marcado com a partida. voejai cabelos , o vento é forte a tarde é triste perfeita pra voar

rio dos espinhos RS perto da grama

revoada
© Todos os direitos reservados