Porquês

Porquês

AH,
PORQUE SEUS DENTES
NÃO SORRIRAM
QUANDO EU ME CHEGUEI
COM BRAÇOS ESTENDIDOS
PRA VARRER O MAL
DE TODOS OS VENENOS
QUE PERDURAM, SIM,
NO SEIO DESSA ALMA
EM DESCONSTRUÇÃO.
 
AH,
PORQUE SEUS OLHOS      
NÃO CHORARAM
QUANDO EU ME NEGUEI
SOMAR À MINHA VIDA
O SILÊNCIO ATROZ
DAS SÓRDIDAS ESQUIVAS
QUE PROCLAMAM, SIM,
A SÂNIE PREMATURA
DO SEU CORAÇÃO.
 
AQUELA COISA TODA
DISPÔS-SE A ME DEIXAR
E CALOU O ALARIDO
DAS TORRENTES SENSUAIS.
 
EU, QUE SONHEI A MINHA LUZ
ESTRELANDO SEU CAMINHO,
DESPERTEI NUM LABIRINTO,
MAS DISPOSTO A ESCAPAR.
 
O SOM DOS MEUS GEMIDOS
NÃO TARDA SE EXTINGUIR,
POIS CANSEI DO SOFRIMENTO
TRAVESTIDO DE AMOR.      
 
EU, QUE JUREI AO PÉ DA CRUZ
PERSEGUIR MEUS SENTIMENTOS,
FUI LINCHADO PELO TEMPO
E ME ORGULHO DE PARTIR.
 
 
Abel Puro, em 2009.

Cantou pra mim...

"E quando a nossa dor feita silêncio nos fizer virar as costas, levantar sem qualquer gesto, sem palavras, sem canção alguma a buzinar no ar, sem ter remédio ou poesia, como alguém normal faria, a gente se vê qualquer dia. Grande abraço! E, quem diria, sem sequer nos lamentar."(Oswaldo Montenegro)

Na foto, Camila Saavedra e familia.