Corte que dói!

Corte que dói!

Dói corte dói!

Apazigúe meu sonho de beleza

Dói mutilação dói!

Restitua-me minha coroa e meu cetro

Dói sorrir dói!

Só por fora!

No reflexo interno vejo meu riso

Jocoso e satisfeito

Dói corpo dói!

Enquanto se refaz,

Para irradiar meu sonho de perfeição

Externa.

Enquanto, aqui dentro, sou toda coração,

Sou toda asas planando no celestial.

Ficarei bela despida.

No quadro preto e branco.

Na festa, de roupa prateada.

No luto, de roupa negra.

De certos trajes:

Aí sou pássaro podado por dentro,

E bisturicamente esculpida por fora

Preciso me equiparar

Enquanto isso, dói muito...

Exterior X Interior!
Obrigada por me ler! Beijos!
Elisa Gasparini
© Todos os direitos reservados