"Museu"

"Museu"


 

No museu dos embaraços

Toquei com os meus braços,

Eu estava sozinho ali,
No escuro do salão
Senti que toquei
Mas não vi.
Fios de armar bandeiras,
Sabres, escudos e laminas embainhada,
Dom Quixote matando moinhos,
Kamikazes e os seus sonhos de liberdade,
Sei que toquei;
Mas não vi.
Circo de fantoches, palhaços e risos,
Heróis e vilões com historias pra contar,
Da paz e da guerra, amores e tentações,
Assombrações noturnas,
Sei que toquei;
Mas não vi.
O vento balançou a cortina e
Apagou as velas dos candelabros de prata,
Távora redonda, cavaleiros mortais,
O coxo e o corcunda da torre,
O carrasco e a forca, Tiradentes herói,
Sei que toquei;
Mas, não vi.

 


 

 

 

Ás vezes os fatos se apresentam de formas equivocadas
e o que parece ser real não passam apenas de fantasias. Nas mentes embalsamadas pela ignorância o falso se torna verdadeiro, o mal se confunde com o bem e o real pode ser representado por uma simples miragem. Como as mãos do mágico são mais rápidas do que os nossos olhos, os fatos também podem ser deturpados, manipulados fazendo-nos á acreditar que são verdadeiros, mas, na realidade não passam de um engodo oriundo de mentes doentias e fragilizadas pelo poder. Obrigado pelo carinho da visita ao sairem deixe um comentário ou uma simples critica.