CAPACHO COLORIDO...


 
A malha colorida, 
tecida em algodão
milimétricamente aproveitada
quadradinho, ou quadradão...
Tudo disposto sobre a cama
ocupando o espaço vazio
do "dono" da casa...
que foi trabalhar?!...
Mulheres prendadas,
nossas avós... Teciam o capacho
que coloria 
a porta da entrada dos sonhos...

E quantas foram as vezes
que o meu avô chegou,
limpou os pés
naquele capacho de cores,
sem perceber qualquer tom...

E elas, as Carmens,
as Sebastianas, as Marias,
seguiam tecendo alguma esperança...
lembro-me muito bem...
lembro também,
os cabelos grisalhos de minha avó
que o tempo fez crescer
e eram trançados 
e enrolados em um coque,
como se tudo tivesse sempre,
que permanecer,  "arrumado"...

E no emaranhado dos fios
das malhas, e dos cabelos
por onde sei que você se perdeu,
agora eu me encontro!...

Nas lembranças de minha infância, dos assuntos que escutava, percebo o que hoje sou...
Permanece em mim o desejo de seguir tecendo a esperança...
E tenho visto, que o espaço contido entre o que foi a minha avó e o que hoje eu "sou" deixou de conter tantas coisas! ..."Veja bem o amor é uma coisa real, ta fugindo do meio de nós e habitando as estrelas, toda luz que faz parte da vida... /
...e o tempo, sai correndo para o nada de que vale estes rancores, precisamos de amores “...

EM RIO DAS FLORES NA CASA DO MEU RIMÃO, LINDÃO, O GODINHO MAIS GOTOSO DO PLANETA.AQUI TÁ UM FRIO! RS