Saci Pererê

O Saci Pererê vive a aprontar
Amarra as caudas dos cavalos
E aos mesmos ele passa a espantar
Que ao correrem passam a cair e relinchar.

Cada animal amarrado ao outro
Sempre correm em sentidos contrários
Quando são pelo saci alvoroçados
Sem rumos tornam-se atrapalhados.

O saci é brincalhão por diversão,
E no redemoinho, joga até água com sabão
Nas pessoas na região por onde passa
Também atiça aos cachorros com traquinagens.

Com sua toca vermelha e caução da mesma cor
Pula com uma perna só em tremenda velocodade
Sem camisa, nem sente frio e é puro trapalhão
E vive a aprontar com seu cachimbo a baforar.

Antonio Cícero da Silva (Águia)

O saci pererê, vive a aprontar...

Petrolina, PE