Águas

Águas dos rios, que passam
e vão ao mar se juntar.
Mágoas da vida que marcam
e insistem em no peito morar.

Porque o viver não faz,
como nas águas do mar acontece,
As mágoas evaporarem
e subirem aos céus como preces?

Ela se foi com as águas,
na barca que cruza o rio,
Não me restaram esperanças,
só no coração um vazio.

Assim, desaguei de saudades,
na foz de tamanha tristeza
E minhas mágoas molharam,
as águas do mar, com certeza...

Jrunder (JRUnderavícius)
© Todos os direitos reservados