Site de Poesias

Menu

Luan Silva

Luan Silva (Luiz Antonio Silva)
 Nasci na cidade de Ituiutaba- MG, no dia 13 de setembro de 1959 (Virginiano) e, desde os 08 meses de idade, moro na cidade de Araxá- MG.
 
Nobres amigos, tenho o prazer de apresentar-lhes, com a mais límpida sinceridade, um breve relato da minha vida:
 
 
Certo dia uma mulher negra (muito pobre) deu à luz um filho, e logo foram abandonados pelo pai do menino. A tal mulher, como uma boa mãe, não almejava nada para si mesma… Mas como dar ao seu filho abrigo alimento, educação e uma condição mínima de sobrevivência; uma mulher que era muito jovem, analfabeta e que foi sempre submissa ao ex-marido?! (…) Pobre mulher!  Via-se agora em desespero, mergulhada num mundo impiedoso que sufocava todas as suas vontades. Estava só. Levava como bagagem a dor, o frio, a fome e a maior riqueza que possuía: uma enorme vontade de criar seu filho. Ela foi parceira de uma luta constante. Andou sempre maltrapilha; abdicou, por completo, das vaidades; ignorou os cosméticos, e trocava, com um imenso sorriso, qualquer acessório feminino por algo que provesse as necessidades do seu filho. E naquele universo de constantes infortúnios, as humilhantes e as terríveis discriminações não lhe foram menos cruéis… Mas a dita mãe, quase que por um instinto, não esmoreceu diante das dificuldades, e, com prudência e dedicação acumulou uma tolerância tal que possibilitou dar ao menino abrigo, saúde, alimentação, um pouco de estudo e muito amor, para que ele não sucumbisse às margens sociais.
 É… Eu me orgulho por ter tido como mãe essa mulher, que fez através do amor pelo seu filho o seu modo de viver! Talvez o Criador tivesse dado a nós, esse caminho tão difícil, para que o sentindo na pele, pudéssemos compreender a gama de dolorosas angústias alheias, e assim podermos, se não extingui-las, torná-las suportáveis através do respeito, da caridade, do afeto e da sinceridade plena. A minha mãe jamais buscou fortunas, pois, ela entendia que o maior patrimônio possível ao ser humano é a riqueza espiritual.
 Hoje ela não está mais, fisicamente, entre nós, mas, através do seu primoroso afeto, suor e determinação, deixou-me uma bela herança: a certeza de que com Deus, empenho, dedicação, respeito e muito amor... Tudo é possível.
 Minha mãe sempre me dizia ter dois grandes sonhos: conhecer o mar; e ser poetisa. (…) Ela não pode conhecer o mar, mas, a cada dia, com muita humildade e dedicação, procuro lapidar meus conhecimentos literários, e com todo respeito à crítica e aos leitores, vou tecendo poemas simples… Talvez com a mesma pureza e intensidade de sentimentos, tal como os escreveria a minha amada mãe.
 
Prezados escritores (as), vocês são de suma importância nessa minha caminhada por este mágico mundo da poesia.  Por favor, ajudem-me com seus sinceros comentários; estarão contribuindo para a crescente melhoria de minhas atividades literárias.
       Muito obrigado!                                                                         Fiquem com Deus!
  Luan Silva