Site de Poesias

Menu

Em um copo de cerveja

Afoguei as minhas mágoas em um copo de cerveja
imaginei o meu futuro sem a sua presença
seguirei a minha vida nos braços da incerteza
revivi o meu passado dei com o punho sobre a mesa

por uma simples palavra o meu ego foi ferido
entre o certo e o errado meu coração está dividido
eis um homem aqui sentado chorando arrependido
implorando sua volta para a vida ter sentido

enxuguei as minhas lágrimas sem esconder a tristeza
refleti no que eu fiz quero voltar mas já não posso
se a consciência me acusa meu sentimento me conforta
num momento de fraqueza senti o gosto da derrota

apesar de ter amigos é só você que me importa
relembrando a nossa briga parecíamos crianças
tentei barrar meus pensamentos para não sofrer em demasia
mas o controle eu não tinha era só você que eu queria

se no tempo eu voltasse nada disso acontecia
perdi a cabeça no mundo mas não posso te esquecer
mais um copo de cerveja sozinho a me esconder
enfrentei a madrugada caminhei triste e sem destino

pelas ruas pensativo e no escuro alucinado
sem teus braços e abraços os seus beijos ainda procuro
me recordo do seu jeito quando em seu peito me reclino
sonhando sempre acordado inocente igual menino

mas a dor que eu carrego faz de mim um peregrino
a procura do amor que eu deixei qual libertino
o meu erro foi amar, mas sentir não ser amado
me engana o destino ouço vozes que não devo

vou ouvir meu coração meu eterno companheiro
que entende a minha dor e me faz ver o que não vejo
volta logo se arrepende deixa a vida de aventuras
dele ouvi esse conselho e cessei minha procura

retornei na vida um passo sem meu copo de cerveja
meu amor era o mesmo disso eu tinha a certeza
o coração mandou a ordem e eu decidi que voltaria
te encontrei a minha espera mais bonita que a beleza

ensaiei o meu discurso para um novo recomeço
sem você eu voltaria para o meu copo de cerveja
parecia tanto tempo mas tinha passado um dia
era o tempo da espera que de nós se escondia

uma lágrima brilhante do seu rosto escorria
iluminando sua face como há muito tempo eu não via
com um abraço apertado nenhuma palavra falei
não havia mais as mágoas nem o copo de cerveja

em seus braços me encontrei lhe beijei apaixonado
te amei naquele dia como nunca tinha amado
mas fiquei sem a resposta
para descobrir que te amava precisava ter brigado?

Compartilhar
Zeca Moreira
09/12/2013

  • 0 comentários
  • 316 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados