Site de Poesias

Menu

ÚLTIMA MULHER QUE AMEI

Tranquei a porta do meu coração
Pra nele, ninguém mais entrar
Foste á última mulher que amei
Ninguém mais me faz chorar
 
Sou homem, não sou brinquedo
Tenho caráter e nobreza
Alertei-lhe muitas vezes
Agora lhe dou certeza
 
Que nosso amor teve fim
Entre nós tudo acabou
Você que zombou de mim
Procure um novo amor
 
Se conseguir encontrar
Outro melhor do que eu
Não vá querer abusar
Com este disfarce seu
 
Finge que ama e destrói
Aquele que conquistou
Joga as cinzas no chão
Depois que o corpo queimou
 
Um dia hás de pagar
Por todo mal que me fez
Sofrerá por um alguém
Quando chegar sua vez
 
Eu seguirei contente
E nem olho para traz
Vou sorrir do seu fracasso
Vivendo só e em paz
 
Se algum dia vieres
Chorando pedir perdão
Darei as sobras do amor
Que restam no coração
 
Sobras não valem nada
Porém você as merece
Quem apanha sente a dor
E quem bateu, se esquece
 
Siga só o seu caminho
Não vá a outro iludir
Viva neste teu mundinho
Deixe-me sozinho aqui.

 

Compartilhar
MARIA AGLAIDE NEVES
17/04/2013