Site de Poesias

Menu

O CUPIDO ME FLECHOU

Acelerou meu coração, quando lhe vi chegar
Na casa do seu Antonio, com sua prima Mariá
Fitei meus olhos nos seus, senti a terra tremer
Parece até que você soube me enfeitiçar
Que me fez sair do trilho e o meu sangue ferver
 
Olhe que sou bem vivido, já tive muitos romances
Mais ninguém conseguiu em sua teia me prender
Danço, namoro e farreio sem compromisso ter
Pois casamento pra mim, sempre foi descartado
Apenas me diverti, não passei de namorado
 
Porém a coisa mudou, o que eu tinha traçado
Penetraste no meu ser, me deixando apaixonado
Pareço bobo da corte, me sinto até enjaulado
Teu feitiço é tão forte que estou escravizado
Vejo-lhe a todo instante, até de olhos fechados
 
Preciso falar consigo, decifrar o seu mistério
Que ímã trazes guardado, que santo forte é o seu
Este olhar zombeteiro caiu bem dentro do meu
Gostei de todo seus gestos, do jeito do seu andar
Este requebre faceiro e teu modo de falar
 
Dê-me o seu endereço e o número do celular
Quero saber onde moras, pois quero lhe visitar
Eu creio que o cupido agora quis me pegar
A fada que lhe pintou trabalhou com perfeição
Fez-lhe charmosa e bonita, que me levou a paixão
 
Eu quero ser todo seu, de alma e coração
Quebrei a minha jura, me entreguei em suas mãos
Faça-me seu criado, teu amante apaixonado
Seu servo e seu escravo, sem nenhuma restrinção
Rendo-me a você Senhora aos seus pés ajoelhado.

 

Compartilhar
MARIA AGLAIDE NEVES
17/04/2013