Site de Poesias

Menu

Amor Perdido

Dezesseis anos de idade, pele branca, cabelos negros e olhos levemente esverdeados,uma típica adolescente tão linda    quanto a lua cheia. Adorava ir à praia no fim do dia para ver o sol se pôr,

Tudo começou no início da primavera do ano de 2011...Estava voltando para casa após mais um dia fatídico de aula, quando ao me aproximar avistei um caminhão de mudanças na casa ao lado. Minha curiosidade me matava, afinal, aquela casa estava vazia há anos.

Sem me dar conta do que estava fazendo,aproximei da calçada em uma tentativa de ver algo mais, algo que pudesse dar-me uma dica de quem poderia ser meus novos vizinhos.Segurava nas alças da mochila que carregava nas costas, quando um carro – um Peugeot preto –, parou atrás de mim. Ao virar para ver quem chegava eu a vir. Aquela á qual meu coração se rendera por completo no primeiro momento.

Lá estava ela,sorriu ao passar indo em direção a casa onde havia o caminhão parado.sentir meu estomago afundar em um poço gélido, meu coração palpitar forte contra o peito. minhas mãos ficarem ansiosas e frias. O que seria todas essas reações que sentir? Seria amor à primeira vista, ou apenas um fascínio momentâneo? Preferi apostar na primeira opção.

Os dias se passaram e eu não tinha dúvidas de que estava sim, apaixonado pela aquela garota. Meu primeiro amor chegou em uma tarde inesperada...Todas as tardes depois do almoço, sentava na varanda de casa, em uma rede branca, e ali eu a via passar, tão linda quanto a lua.Ela passava para ir à praia quando notou que eu a olhava da varanda.E deu-me um "oi", convido-me para acompanha-la.Era surreal demais estar falando com ela depois de tantos meses amando-a em segredo.

Ao cair da noite,voltamos para casa com a roupa completamente molhada. Meu coração dançava uma falsa de felicidade dentro do peito. O sorriso não deixava-me o rosto nem por um segundo.Ela se despediu com um breve aceno de mão, garantindo que nos encontraria na tarde seguinte.. Entretanto aquele encontro já mais conteceu.

No dia seguinte voltaava do colégio, ansioso como nunca estive antes. Praticamente corria pelo caminho de volta para casa.Naquela tarde recebir a pior noticia de minha vida. Minha lua, uma  garota cheia de vida, que amava as ondas, foi atinginda por uma bala perdida ao sair do banco com sua mãe, por volta das doze horas e vinte e sete minutos.Minha lua veio a óbito antes mesmo de chegar ao hospital.

Em vinte e oito de março de 2012, perdir o meu primeiro amor. A dor que sentira ao receber a noticia rasgava-me a alma destruindo minha fé na humanidade. Uma humanidade hipócrita e cruel.

Chorei durante todo o resto do dia e o decorrer da noite. Chorava como jamais chorei antes em toda minha vida. Ela se foi se quer tive a chance de lhe dizer o quanto a amava desde a primeira vez que a vir chegar àquela rua.

Naquela mesma noite  sonhei com ela. Em meu sonh era a mesma garota, linda e cheia de vida.Durante esse sonho dei o meu primeiro beijo de amor. Foi apenas um sonho, mas me parecia tão real. estava prestes a dizer o quanto a amava, quando a imagem dela se dissipou a minha frente como se fosse uma aurora boreal. Sufocada pela sensação de perda e abandono.

Na manhã seguinte,saí de casa sem ao menos tomar café da manhã.Ao passar em frente a antiga casa dela, as lágrimas me dominaram compulsivamente. Movido pela sensação de vazio que assolava meu coração,corri em direção à orla marítima sem ao menos olhar para trás.Retirei os chinelos, começando a andar, afundando meus pés na areia fofa, sentindo a brisa marinha soprar em meu rosto. Parei em frente ao mar, cair de joelhos sendo banhado pela onda que lambia a praia.

Eu desejava gritar, para fora todos os sentimentos de dor que sentia. Expressar o amor que não tive a chance de confessar. _EU a AMAVA – gritei olhando para o céu, em minha dor solitária.

Então, ali a beira mar, decidir que jamais deixaria de dizer – enquanto houvesse tempo –, o quanto amava a pessoa em questão,

Com lágrimas no rosto, fiquei de pé. Entrei no mar, ondas batiam contra meu corpo causando-me a sensação de fraqueza. Meus pensamentos estavam todos direcionados á ela. E aos pouco fui afundando nas águas turvas do oceano..com pensamento de que.“Cedo ou tarde a gente vai se encontrar...” E por completo afundei,com lagrimas nos olhos.no pensamento um "já mais deixarei de te amar".

The end...

 

 

                                                                                        

 

 

Compartilhar
eddy silva
28/11/2012