Site de Poesias

Menu

SOPRAM SEGREDOS NAS BRUMAS . . .

[Ilustração não carregada]


Sopram segredos nas brumas..

Cupido invisível esconde nosso calor em seu corpo

Nas nuvens de cima clareza eu sinto

Tradução da lua,em mim,

Tradição do sol,eu sou

Mar silencioso, tu és

O papiro mais difícil de se traduzir

Areias cobrem duas pérolas leitosas...

Sublimo minha paixão nas brumas azuladas

Disfarço,sou anjo sem asas, que voa nas tuas estradas,

Vapores tingidos de púrpura,infinitas noites de liras ...

Sopram os segredos nas brumas..

Sobe nossa melodia, para muito além da escuridão

Sigo o rumo das estrelas cadentes,

pintando o horizonte de lilás

Deixa suas marcas divinas em nós,doce Cupido,

feitas com ar fresco dos campos de trigo...

enfeitados de libélulas cristalizadas

Brisa perfumada de sândalo...nos acalma por segundos...

emergem as horas com pressa,insistentemente a sussurrar...

por meses , teu (meu) nome ecoa na divisa dos trópicos,

Aquela imagem ... em cada rosto que vi

Laços etéreos que não se arrebentam...

Universo...alimentando as brasas...

de um fogo que nunca cessa...

Labaredas oníricas que por receio queremos apagar...

 

Nossos olhos, cegados pelo mundo... receiam ver

Letras se unem,nascem as palavras

Frases se fundem em energia e criam asas

Suspira um meigo Cupido, acordando dois corações

Fujo para o paralelo dos "Sosordem"

levando parte do sentimento no peito

Só sei de meu poema, índigo poema...
que arrebenta ondas em meu corpo,

e assim...dormindo e acordando,

retornando...

Crio asas... para voar cada vez mais longe

Transponho a sutil divisa...

que leva a tua (nossa) compreensão,

e então entendo que o vento que me levou...

é o mesmo que te trouxe...

 

Compartilhar
Bruma Lilás - Taís
21/01/2012