Site de Poesias

Menu

Labirintos.

[Ilustração não carregada]

Enquanto a vida prossegue de forma volátil eu vou
decantando minhálma, esvaziando-me de remorsos e,
com isso vulnerável se tornaram minhas convicções.
Deletei... Falsos dogmas mistifiquei outros e tornei-me
renegado de mim mesmo. Um emaranhado de soluções,
perguntas que nunca fiz, um turbilhão de idéias e fracassos
que culminaram num labirinto sem volta. Fiz (Marketing) das
minhas (filosofias), poucos compraram... Muitos desdenharam,
contudo sigo em frente acreditando no que sou, porque (sei quem sou
mas, não sei para quem). Flutuo sobre plumas complacentes que aliviam
as dores que rejeito, mas que não posso deter, lágrimas incontidas pelo
leite derramado ou assistindo na (TV) um desenho animado, paliativos
sentimentos para esquecer os momentos que meu (espírito) jaz... Desanimado...

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
10/01/2010

  • 8 comentários
  • 455 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados