Site de Poesias

Menu

PONTO POEMA

 
Sou ponto sem trajetória
no espaço dos teus olhos;
sou um barco
sou sem memória
mesmo assim tu me possuis!
Vou correndo – busco algo indefinível ! –
uma forma e não pro-forma
em reforma que deforma
para ver e ter a paz!
                  Homens! Quê loucos!
                  Buscando no espaço
                  revendo os ex-passos
                  e tentando uma coisa: buscar o Amor!
 
Sou um ponto numa reta traçado
sem orientação ou mesmo técnica!
               
                  Vim dos laboratórios
                   sou um sub-produto
                   sou quase máquina
                   mesmo assim procuro a Paz !

 

Compartilhar
benedito c.g.lima
08/01/2010

  • 0 comentários
  • 320 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados