Site de Poesias

Menu

DOS MALES PARA O BEM

POR MARES E MALES

Por mares e muitos males passei
Por terra e aridez de amor quase sequei
No vale da penumbra morada criei
E por estar cego muito me arrastei
Mas de esperança muito ansiei
De alegria na mentira me enganei
Da tristeza na verdade tropecei
Na escuridão moradia montei
E por tudo isso muito vaguei

Tateei, tateei
Que destino inaudito é esse
Buscar saídas quebrando a face
Só cicatrizes eu arrumei
Nas sombras caminhando
À sarcasmos e risos sobrevivi

Que lugar era aquele
Eu não era dali
Mas no submundo das falsas amizades sobrevivi
Na esperteza maldita minha timidez se desfez
E meu coração de medo
No mais escuro se escondeu
E deste claustro por muito não mais me achei

Do fundo das trevas agonizando se erguia
Mas no amor fictício resvalando novamente caia
Sina sufocante de eterno afundar
Sem tábua num mar de lama viscosa
Nojenta em lúgubre trucidar

Morada dos espíritos esquecidos
Que vivem do vicio e dos falsos brilhos
Onde o falso amor é rei e a volúpia rainha
Da ingratidão fiz acostumar meu coração
E blindado das escórias procurei alento

Meus olhos já não escondiam a desesperança
E quando de pavor já me via sem esperança
Um caminho mais sereno surgiu em percepção
Fui avistando e sentindo um tatear incerto
Gotas de orvalho, galhos de sustentação
Cordas de apoio firmadas em encantos

Na leveza da pureza, a alma se fortaleceu
Deixando aos poucos para traz
A astucia, a podridão e a escura prisão
Respirando novamente ar puro
Veio a redenção

Graças aos céus. Ao Criador
Que mesmo aos perdidos em destinos insanos
Geradores de obras nefastas e doentias
Mantém a sua mão sempre ao alcance
Para aqueles que ainda da desdita malsã
Saem da podridão e a visualizam
E estes felizes e emocionados
Caem de joelhos agradecidos.

"Quando Cristo em tudo especialmente acentuava:"A ti acontecerá como acreditaste!", Ele se refere sempre, claramente , à lei da reciprocidade. Cada qual pode receber apenas aquilo que reflete o seu íntimo, nada diferente, tanto em forças espirituais como em forças físicas". Abdruschin - graal.org.br

Compartilhar
HSERPA
04/01/2010