Site de Poesias

Menu

Crepitação (soneto)

[Ilustração não carregada]

O sabor dos lábios que nunca beijei,
Posso senti-los na minha imaginação
Pelos caminhos por onde ti procurei
Só ficaram rastros da minha desilusão.
 
Fragmentos de sonhos quando acordei,
Reviveram veredas vazias de emoção.
Tudo o que restou daquilo que imaginei,
Foi o fogo crepitando meu coração.
 
Coração descalço sobre cinzas e carvão,
Sob o negrume das noites enfadonhas,
Devorando-me como a fúria de um vulcão.
 
Meus desejos amotinaram minha razão,
As minhas noites ficaram mais tristonhas,
Arrefecendo as lavas ardentes da paixão.

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
27/12/2009

  • 9 comentários
  • 287 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados