Site de Poesias

Menu

A morte de “DELFHOS” (divagação)

[Ilustração não carregada]

 
Era uma madrugada do mês de agosto,
quando o som da matraca anunciava um evento,
sai na calçada para ver o que era, era “DELFHOS”, que tinha
acabado de morrer. O seu corpo estava sendo transladado para
a câmara-ardente a fim de ser velado. Ao aproximar-me notei que
apesar de ele estar morto tinha uma luz viva em seu semblante,
e até esboçava nos seus lábios um singelo sorriso.
Cheguei mais perto do seu busto, ai, pôde compreender que;
                                                             “DELFHOS ERA EU"
 
...A morte é o ultimo e o mais fascinante ato da vida, não podemos compreendê-la, porem se faz necessário para que o ciclo da vida  se complete...

Compartilhar

Este "Delfhos" a que se refere o texto não tem nada á ver com o "Delfos" filosofo a quem era atribuído o dever de (inquirir) e (julgar) a competência dos filósofos Gregos. Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
06/07/2009