Site de Poesias

Menu

RESPIRAÇÃO BOCA A BOCA

A aspersão dos cabelos
Alcançou a linha descrita pelo mar
As linhas que o bíquini
Deixaram gravados em meus olhos
o solfejo que o andar
Ferindo a areia da orla
Encantou minh`alma
Despertou um sentimento
Nunca soube responder
Se é o respirar abafado
Pelas ondas libidinosas
Pelo vagalhão sádico
Que insistiu em tragar
O fiasco de resistência
Que te sobrava.

Os lábios entreabertos
Preste a recepcionar
A respiração boca-a-boca
A ressurreição artificial
A ti devolveria a vida
A mim devolveria a esperança
De amar para sempre
Porém, defronte às vagas
A um trio de salva-vidas
Eu também morri em vida.
Joel de Sá
31/10/2008.

 

Compartilhar
Joel Pereira de Sá
31/10/2008

  • 1 comentário
  • 188 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados