Site de Poesias

Menu

Desejo proibido

Senti
seu corpo em meus aposentos
despi você enquanto deitada
na cama cada pétala caída
seu cheiro exalava


Ofegante
percebias e quase não respirava
corpo quente com sua presença
respirei mais forte na pele arrepiada

Mordi
de leve o dorso que se erguia
provocando teu gemido
bela mal adormecida
contorcia-se gostosa
oferecendo-me abrigo

pernas
levemente abertas
cheirei a flor e o anel
que pulsavam inquietos
ao toque ousado em pincel
da minha língua em ambos

Fruta cheirosa
seu mel escorria preguiçoso
de seus lábios de pêssego
adoçando meus lábios em fúria
que te davam um íntimo beijo

No cio
louca ronronava sons desconexos
a vulva intumescida pedia
pra te invadir ao meio
com meu grosso e duro cetro

Como um rei
forte e suave indo ao fundo
encaixando-me ao teu corpo
formando dois em um
com paixão penetrei seu mundo

Palavras
de volúpia e gemidos
sussuravas, xingavas
mordia tua nuca, com a voz rouca
te deixava louca
numa sinfonia de todos os sentidos

Viril
mil vezes invadi seu corpo
pedias estocadas firmes
puxando meu tronco ao teu
se desmanchando em gozo

Urrei
após safado brinquedo
como um cachorro louco
Com o nosso prazer intenso
tombamos, lado a lado,
sorrindo, dividimos o nosso segredo

Desejo..
proibido aos olhos de seu par
mas consentido em nosso pensamento
escondido em meu apartamento
onde se entregas sem nenhum pesar

Compartilhar

Uma mulher solitária..um casamento quase acabado. Um encontro casual, a troca de olhares, a vontade... o sorriso, o encontro de almas cheias de paixão. Pena que ela se foi, ainda, para ele. Salvador, em meu ap

André Ferreira
06/05/2008