Site de Poesias

Menu

Vou Poder Brilhar de Novo Enfim!

Meu presente, querida, já lhe dei
Em formas de versos, antecipado.
Mas certo estou que ainda darei
Um presente físico plasmado!

Amanhã na aurora vou passear,
Em nosso lindo ninho-jardim,
E em nosso Templo vou deixar,
Um pedacinho de mim!

Quando estive na helênica Atenas,
Dos filósofos, seguindo suas pegadas,
Colhi uma porçãozinha apenas,
De pedrinhas simples mas sagradas!

E uma delas hoje brilhou
Irradiando sua pureza pra mim.
E em sonho me ordenou:
Siga minhas instruções assim:

De um templo me retirou um dia
Onde vivia com uma bela princesa.
Devolva-me a um templo antes que tardia
Que a minha Luz que ainda irradia,

Venha totalmente se apagar.
Preciso resgatar a força minha,
Mas pra isso tem que me entregar,
De volta a ela, hoje uma Rainha!

O Templo você o conhece.
A Rainha é chamada de Ceci.
Feche os olhos em prece,
E quando cantar o bem-te-vi,

Deposite-me no local indicado,
Você não pode estar solitário.
Com ela deve estar acompanhado,
Bem antes de seu aniversário!

Logo abram os olhos devagar,
Beijem-se num doce olhar!
E os dois olhando pra mim,
Vou poder brilhar de novo enfim!

Por isso minha majestade,
Que comigo divido este reinado,
Use a sua bela criatividade,
Para atender mais este chamado!

Compartilhar

No aniversário de minha Ceci tive uma visão em que uma pedrinha que havia tirado de um templo grego há anos atrás falou comigo... veja então no que deu...

Leon del Bargo
16/10/2007