Site de Poesias

Menu

Marina

Em ti enxerguei tanto encanto e irreverência,

Mal conhecendo, senti que já conhecia

Há tanto tempo, com tanta veemência

E experimentei uma breve, mas sincera alegria...

 

A vida machucou-a em diversos aspectos,

Mas teu charme e personalidade me cativaram.

Tinhas, porém, cuidados circunspectos

Para evitar sofrimentos, esquecer eventos que te machucaram.

 

Teus beijos eram magníficos, bem como o sexo.

Teu corpo enviava mensagens de delícia

A cada mínimo contato e o conversar complexo,

Por vezes, simples, em outros, era livre, mas sem malícia...

 

Não o sei se havia um romantismo velado ou apenas bem querer

Da tua parte. Contudo, não nego que foi feliz

Cada milésimo que passei contigo e sem ti, o sofrer

Foi constante, tal qual o significado de sofrimento condiz.

 

Como esquecer tamanha afinidade benfazeja?

Queria estar ao teu lado por tempo indefinido,

Queria estar em tua vida, como quem deseja

Um tesouro, mas tua agenda decretou isto como proibido...

 

Eu vi em ti a companheira ideal e tão divina,

Aquela que eu quis para ser minha amada, minha rainha...

Oh! A dor e frustração de não estar em seu amor, Marina!

Mulher que eu sempre quis, mas que nunca será minha!...

Compartilhar
Thiago da Silva Carbone
23/11/2020