Site de Poesias

Menu

O LENÇOL DENUNCIA


O LENÇOL DENUNCIA
 
Amar é uma arte árdua e prazerosa
Zé de Biu aprendeu a amar
Terceirizando com uma bela jovem
Uma morena bonita e gostosa
Sabe todas as artes de uma amante
Seu fogo é duradouro feito diamante
Seu amor é delicado feito uma rosa.
 
Zé de Biu recebe pelo celular
Um convite para se encontrar
A voz era suave, doce e conhecida.
Lembrou-se de uma conversa particular
Dizia que por Zé tinha admiração
Era grande seu amor e paixão
Espontaneamente resolveu falar.
 
Confessou que tinha um namorado
Mas não permitia que lhe beijasse
Inexperiente precisava de um tempo
Zé de Biu precisava ter cuidado
Tempo para pensar como fazer
Organizar tudo para o prazer
Práticos conhecimentos como exemplo.
 
Zé de Biu tinha saído da escola
Feiticeiro e amente é sua história
Jovem virgem a Zé quer se entregar
Zé de Biu memoriza essa tá na sacola
Marca para o dia do seu aniversário
Quer ser amente não confesse ao vigário
É um jogo que da liga, mas, não cola.
 
Visitas constantes Zé sabe como fazer
Sua psicologia na prática nunca falha
O amente sincero sabe mentir
Nada melhor do que dá prazer
O coração transborda de emoção
A adrenalina incendia de tesão
Amor e uma teia que Zé de Biu sabe tecer.
 
De tanto fuçar na teia molhada
Seu fio fino e sedoso rompeu
Felicidade e prazer se misturam
Zé de Biu de uma só navalhada
O vermelho brota, o lençol denuncia.
Esse é o fim de mais uma vadia
Que se deu bem com Zé pela estrada.
 
Gilvan Bulhões – Recife, 16/11/2019

Compartilhar
gilvan bulhoes
09/12/2019

  • 0 comentários
  • 62 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados