Site de Poesias

Menu

Transparência

Venho de uma época distante  

De um reino de paz há muito distante

De cavaleiros com suas armaduras pesadas

Espadas cortantes e arcos certeiros    

De Metropolis de luzes que reluz, sempre e constante 

De prédios em cristais transparentes

e arranhas céus reluzentes.

Sou de material resistente

Não se quebra nem fica cortante

De pureza e brilho tão raro

que cega e macula a retina 

Diamante lapidado com transparência

perfeição sentimento e lizura.

 

 

 

 

Compartilhar
Arlete Lopes
23/02/2018

  • 0 comentários
  • 87 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados