Site de Poesias

Menu

FIM DO CAMINHO

enfim chega ao fim do caminho

sela com uma coroa o seu epitáfio

aquilo hoje  jaz no passado

já não lembra mais

pois na morte se esquece

mais se é lembrado

por tanto que amou

e foi amado

e fica na lembrança o seu retrato

pintado pela mão do artista

 

da vida a lição altruísta

talvez no mar espalhe

o que o vento leva

jaz as cinzas nasce as flores

do jardim onde morava

pequenas coisas compartilhadas

Compartilhar
charlot collier
20/11/2016